Orgônio: a energia vital que a tudo permeia

Orgone

Desde os primórdios dos tempos, o ser humano vem buscando compreender o que move a Vida. Nessa busca, as grandes religiões da história da humanidade deram várias interpretações e denominações à Força Vital que a tudo permeia.

Os hindus a denominaram de “Prana”, os chineses deram-lhe o nome de “Chi”,  os gregos a definiram como “Pneuma” e os Kahunas (magos da Polinésia), a chamaram de “Maná”.

No mundo contemporâneo essa Força Vital ou Energia da Vida continuou e segue despertando a atenção e interesse não só de espiritualistas, mas também de cientistas.

Um destes cientistas foi o psiquiatra austríaco Dr. Wilhelm Reich, que fez importantes investigações e descobertas sobre a Energia da Vida.

Wilhelm Reich e suas descobertas

Na primeira metade do século passado, Wilhem Reich pesquisou cientificamente a Energia Vital, a qual ele nomeou de “Orgone” (Orgônio), o que o levou à denominação da Energia Orgônica.

A Energia Orgônica é a Energia Cósmica Primordial, presente universalmente em tudo.

Essa Energia atua em cada ser vivo como como a Energia Biológica ou Vital. 

Como surgiu o conceito Orgônio

O conceito Orgônio surgiu na pesquisa de Wilhelm Reich depois de ele ter ido aos Estados Unidos, como resultado de seu trabalho sobre a psicofisiologia da libido, a relação do desenvolvimento biológico com a energia e a investigação sobre a natureza do Universo.

Através dessas investigações ele chegou a concepção e a constatação dos “Bions”= vesículas subcelulares “autoluminiscentes”. 

No início, Wilhelm Reich considerou os Bions como entidades eletrodinâmicas ou radioativas, porém, posteriormente, concluiu que tinha descoberto uma Força misteriosa e desconhecida, porém mensurável, a qual chamou de “Orgônio”, palavra de origem grega, que significa: Org – “impulso” / Ônio-Ozônio

O que é o Orgônio?

De acordo com as investigações do Dr. Wilhelm Reich, o Orgônio é uma Energia Onipresente, que se encontra nos elementos da Natureza e nos seres vivos e tem uma cor azulada.

Sobre o Orgônio: como se manifesta

Em suas pesquisas Reich descobriu que o Orgônio se manifesta de 3 formas

POR (Positive Orgone Radiation) – Orgônio positivo, que se encontra nas florestas, cachoeiras, enfim, na Natureza. 

DOR (Deadly Orgone Radiation) – Orgônio fatal, que é manifestado pelas usinas nucleares, em centros urbanos , zonas industriais, redes elétricas ou seja, geradores de radiação, poluição e/ou frequências eletromagnéticas.  

OR (Orgone Radiation) – Orgônio neutro

Acumuladores de Orgônio

Através de suas pesquisas, Wilhelm Reich notou que o Orgônio era atraído por sucessivas camadas de materiais orgânicos e inorgânicos alternados.

Ele fez vários testes com caixas e funis que acumulavam Orgônio visando criar um aparelho para fins medicinais.

Reich percebeu que era possível tratar doenças com o Orgônio, dessa comprovação surgiu a Caixa Orgônica.

Caixa Orgônica

Para criar a Caixa Orgônica, Reich utilizou um dispositivo cúbico com três camadas: 

Externa: com uma placa de madeira – para captar energia 

Intermediária: composta de algodão vegetal em rama – com a finalidade de receber energia da madeira e “enviar” (dispersar) para o interior da caixa

Interna: placa de ferro galvanizado ou outro metal – para armazenar a Energia.
 
A Caixa Orgônica foi projetada e criada dessa forma por Reich com a finalidade de ser um potente acumulador de Energia Orgônica em seu interior.

Terapia com a Caixa Orgônica

Os resultados satisfatórios obtidos por Reich com o uso da Caixa Orgônica no tratamento de doenças, levou vários outros especialistas da saúde e terapeutas a fazerem uso desse dispositivo para tratarem seus pacientes.

O uso diário de 30 a 40 minutos da Caixa Orgônica, eleva o potencial energético, aumenta a imunidade e renovação celular do corpo. 

Atualmente, espaços terapêuticos holísticos vêm utilizando a Energia Orgônica através de vários meios e há também os que associam a Caixa Orgônica a outros recursos como as pirâmides, cristais, mandalas, enfim, outros captadores de Orgônio.    

É bom lembrar que, como todo tratamento, não se deve fazer uso indiscriminado da Caixa Orgônica, pois o excesso de Energia Orgônica pode desencadear reações como: agitação, taquicardia, dispneia, irritabilidade e ofegância. Por isso, é necessário ter o acompanhamento e orientação de um especialista nesse tipo de terapia.

Benefícios do Orgônio

Graças a Reich, muitos pesquisadores aprimoraram a utilização da Energia Orgônica em tratamentos curativos e de reequilíbrio energético. E isso vem ajudando muitas pessoas afetadas pelos desequilíbrios do mundo contemporâneo, como a poluição, a contaminação dos alimentos, estresse e o excesso de uso de aparelhos eletrônicos. 

Tudo isso impede a energização e revitalização do indivíduo, desencadeando doenças como a depressão, a neurose, a ansiedade, hipertensão, anemia, diabete e câncer, entre outras.

Nesse sentindo, a terapia com o Orgônio e a utilização da Caixa Orgônica podem contribuir para fortalecer a vitalidade de nosso corpo. 

Você já tinha ouvido falar de Orgônio e da Caixa Orgônica?

Se sim, conte para nós o que sabe, para compartilharmos mais informações sobre essa importante descoberta do Dr. Wilhelm Reich.

Talvez te interesse ler também:

CONEXÃO MÃE TERRA – MÃE NATUREZA: COMO ENTRAR EM CONTATO COM NOSSA ORIGEM

BIOENERGÉTICA: O QUE É, INDICAÇÕES E POR QUE FUNCIONA?

SERENDIPITY: QUANDO O ACASO NOS TRAZ DESCOBERTAS FELIZES

Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!