Além de Greta: outros jovens ativistas que lutam pela Terra

Autumn Peltier

A jovem sueca de 16 anos, Greta Thunberg, é já bastante famosa. O mundo inteiro a segue em seu movimento #FridaysforFuture, que reivindica ações governamentais e medidas que reduzam as alterações climáticas, provocadas pela emissão de gases poluentes.

Essa jovem ficou conhecida internacionalmente por seu ferrenho ativismo em prol da redução da emissão do dióxido de carbono na atmosfera.

Nessa pegada, para o bem das presentes e futuras gerações, surgiram outros jovens e, oxalá, surjam outros mais agindo em defesa do meio ambiente e da Vida em nosso planeta.

Veja quais são, além de Greta, os jovens ativistas igualmente empenhados em fazer bem à Terra.

Artemisia Xakriabá

A jovem indígena de 19 anos é líder da juventude indígena brasileira e um dos destaques dos eventos sobre o clima na ONU. 

Antes de participar desses eventos ocorridos na ONU, em Nova York, Artemisa esteve em Washington promovendo juntamente com os integrantes do Congresso Americano a defesa ao meio ambiente e da comunidade indígena. 

Artemisa se prepara para prestar o Enem e poder cursar as Universidades de Psicologia e Música, para com essa formação ajudar as novas gerações do seu povo a se conhecerem e terem êxito em suas vidas.

A preocupação desta jovem é melhorar a situação dos povos indígenas que piorou desde o início do governo de Jair Bolsonaro.

Mari Copeny

A jovem norte-americana Mari, ficou conhecida por defender o suprimento e a qualidade da água em sua localidade, isso porque em abril de 2014 o poder público de Flint, em Michigam, querendo economizar gastos financeiros, mudou o abastecimento de água do Lago Huron e do Rio Detroit para o Rio Flint sem realizar o tratamento adequado, resultando em níveis insalubres desta água.

A contaminação desta água trouxe um surto de doença que matou 12 pessoas e adoeceu outras 79, entre junho 2014 e outubro de 2015, além causar várias reações alérgicas e orgânicas.

Mari esteve diante do presidente Barack Obama reivindicando medidas para solucionar o problema de sua comunidade e esse encontro viralizou nas redes.

Após sete meses, o presidente Obama autorizou US $ 100 milhões para reparar o sistema de água de Flint. 

Ainda a defesa de Mari se fez necessária, pois abril de 2018, o governador de Michigan encerrou o programa de fornecimento de água engarrafada gratuita, que existia em decorrência da corrosão dos canos pela toxidade que ocorreu anteriormente na água. 

Dois meses após a decisão do governador, Mari e a organização sem fins lucrativos Pack Your Back entregaram mais de 700.000 garrafas de água à famílias de sua comunidade.

Além de tudo isso, ela e seus apoiadores organizaram uma série de projetos paras crianças carentes de sua cidade.

Autumn Peltier

A jovem de 15 anos, Autumn Peltier, é defensora internacional da água potável, por isso ela é conhecida como a “Guerreira da Água“.

Autumn Peltier já se pronunciou em defesa da água diante dos líderes mundiais na Assembléia Geral da ONU e faz isso desde 13 anos. 

Esta jovem vive no Território de Anishinawbe, na ilha de Manitoulin, no norte de Ontário, no Canadá.  

O que motivou o ativismo dessa garota foi, ao participar de uma cerimônia na Reserva do Rio Serpent, ficar sabendo  que nem todas as pessoas no Canadá tinham acesso à água potável.

Para lutar pela acessibilidade da água tratada, Autumn Peltier se tornou palestrante, o que lhe conferiu notoriedade internacional.

Além disso, ela participou da Assembléia das Primeiras Nações, apresentando ao Primeiro Ministro Canadense Justin Trudeau um pote de água reivindicando solução para aqueles que não têm acesso à água potável. 

Seu ato estimulou a Assembléia das Primeiras Nações a criar o fundo Niabi Odacidae para lidar com a proteção da água e, além do mais, em abril de 2019, a jovem foi nomeada comissária-chefe da água pela nação Anishinabek. 

Ainda neste ano, Autumn Peltier foi indicada ao Prêmio Internacional da Paz da Criança e foi convidada para falar na Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas, em Nova York.

 

Potito

O garoto de 12 anos, Potito, se manifestou sozinho contra as mudanças climáticas e o aquecimento global em Stornarella, na Itália.

Potito fez seu ativismo solitário em apoio à Greve Global pelo Clima, sentado no chão com um cartaz ao lado mostrando um bolo cheio de material poluente e plástico com o slogan “Eu estou de olho em você”.

A foto dele fazendo ativismo foi postada no Facebook, e viralizou. Com essa iniciativa Potito chamou a atenção dos cidadãos e do poder público italiano.

Jovens que estão indo na contramão da sociedade consumidora

Estes jovens ativistas se opõem ao protótipo dos adolescentes criados e formados para competir no mercado de trabalho, ter uma renda para consumir e adquirir bens, para se anestesiarem do desconforto camuflado do acirrado capitalismo.

Esses jovens inspiram as novas gerações a saírem desse condicionamento que vem de séculos. Esses novos ativistas nos mostram que cada um de nós pode fazer a diferença em defesa da Vida em nosso Planeta!

Talvez te interesse ler também:

HARRISON FORD DOA 18 MILHÕES DE EUROS PARA AJUDAR A AMAZÔNIA: ‘NOSSA CASA ESTÁ EM CHAMAS E SÓ TEMOS UMA CASA’

CÚPULA PELO CLIMA NA ONU: A PRESSÃO DA JUVENTUDE PARA COMBATER A CRISE CLIMÁTICA

GRETA THUNBERG E O LÍDER INDÍGENA BRASILEIRO DAVI KOPENAWA ESTÃO ENTRE OS 4 VENCEDORES DO PRÊMIO NOBEL ALTERNATIVO

Fonte foto: CBC

Professora, alfabetizadora, formada em História pela Universidade Santa Cecília, tem o blog A Vida nos fala e escreve para GreenMe desde 2017.
Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!

Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!