Vitória! Anvisa regulamenta proibição de gordura trans até 2023

gordura trans

É notório o mal que a gordura trans faz à saúde. Por isso, a medida, aprovada ontem (17) pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que vai banir o uso e o consumo desse tipo de ingrediente até 2023 é muito bem recebida pelo consumidor brasileiro.

Segundo a Revista Planeta, a diretoria do órgão aprovou o conjunto de regras em uma votação unânime. A medida será adotada em três etapas:

1ª ETAPA – a gordura trans será limitada em óleos refinados em até, no máximo, 2%. O prazo para as empresas se adaptarem será de 18 meses e a aplicação total da medida ocorrerá até 1º de julho de 2021.

2ª ETAPA – nesta data inicia-se a segunda fase, que limita para todos os gêneros alimentícios a gordura trans a 2%, a fim de “ampliar a proteção à saúde, alcançando todos os produtos destinados à venda direta aos consumidores”, diz uma nota da Anvisa. Essa restrição será aplicada até 1º de janeiro de 2023.

3ª ETAPA – nesta data, tem início a terceira e última etapa de implantação da norma com a proibição da gordura trans para qualquer finalidade de consumo. Entretanto, o ingrediente poderá ser usado para fins industriais.

Danos à saúde

A gordura trans está presente em vários produtos industrializados disponíveis nas prateleiras dos supermercados. É utilizada para coibir odores desagradáveis em produtos, mas oferece, em contrapartida, o risco de aumento do colesterol ruim (LDL) e da degradação do colesterol bom (HDL).

A Anvisa confirma, com a nova norma, os estudos que comprovam que o consumo de gordura trans acima de 1% do valor energético total dos alimentos estar associado ao aumento do risco de doenças cardiovasculares.

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostram que o ingrediente provocou 11,5% das mortes por doenças coronárias no Brasil, em 2010, em decorrência do consumo excessivo de alimentos industrializados.

De acordo com o Metro Jornal, atualmente, não está regulamentada uma quantidade máxima de gordura trans que pode ser comercializada. Além dos produtos nacionais terem de se adaptar à norma, os importantes também sofrerão regulação da Anvisa, que “visa a proteger a saúde da população”.

A Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia) considera que será mínimo o impacto da nova medida no setor alimentício, visto que, há alguns anos, várias empresas já vêm desenvolvendo novas fórmulas para os seus produtos.

Talvez te interesse ler também:

A OMS QUER ELIMINAR A GORDURA TRANS DOS ALIMENTOS EM ATÉ 2023

FRITURA FAZ MAL? QUANTO, COMO E POR QUÊ? INFORMAÇÕES E DICAS

IRISINA, O HORMÔNIO QUE QUEIMA GORDURAS E COMBATE O ALZHEIMER! COMO AUMENTAR SUA PRODUÇÃO

Doutora em Estudos de Linguagem, Mestra em Linguística e Especialista em Ensino de Língua Portuguesa, escreve para GreenMe desde 2015.
Você está no Pinterest?

As fotos mais bonitas sempre contigo!

Você está no Instagram?

Curta as mais belas fotos, dicas e notícias!